Aplicar dinheiro exige conhecimentos, ainda que básicos, sobre diferentes termos utilizados com frequência no mercado financeiro. Isso permite que você analise as melhores opções de investimento disponíveis e aplique seus recursos sempre de forma inteligente.

Entre os conceitos-chave para investir de forma mais consciente está a relação entre risco e retorno de investimento. Para entender os motivos dessas palavras andarem sempre lado a lado quando estamos falando de aplicações financeiras, continue a leitura e esclareça todas as suas dúvidas.

O que é o risco em um investimento?

O risco em um investimento pode ser compreendido como a possibilidade de que o retorno esperado (do qual falaremos mais abaixo) não se concretize. Ou seja, quanto maior o risco, mais chances de não receber a rentabilidade estimada.

Os riscos em investimentos são gerados com base nos mais diversos eventos, que quase sempre não estão sob o controle do investidor. Eles podem ser oriundos de condições de mercado, do ambiente político ou mesmo da instituição na qual o dinheiro foi aplicado.

É importante ter sempre em mente que não existe aplicação sem risco. Embora existam opções extremamente seguras e que dificilmente apresentarão problemas, investir presume a exposição a algum nível de risco.

E o que é o retorno?

O retorno do investimento é a quantia a ser recebida em relação ao montante aplicado. Assim, se você investe R$ 1000 e 1 ano depois tem R$ 1100, essa diferença é o seu retorno. Nesse exemplo, o retorno obtido foi de 10%, sem levar em conta eventuais taxas e tributos.

Alguns investimentos permitem saber qual será o retorno no momento da aplicação, enquanto outros não fornecem essa informação, por trabalharem com ativos mais voláteis, cujo desempenho oscila de acordo com inúmeros fatores.

Quais são as relações entre risco e retorno de investimento?

Agora que você conhece a definição dos 2 termos de forma separada, vamos ver como eles funcionam juntos. Logo de cara, entender essa relação ajuda a tomar melhores decisões na hora de investir, uma vez que permite ir além da pergunta se um investimento vale a pena apenas pela sua rentabilidade.

Quanto maior o risco, maior o retorno

Uma regra praticamente infalível dos investimentos é que quanto maior o risco de uma aplicação, maior será o retorno oferecido por ela. Em linhas gerais, isso acontece por um motivo simples: investimentos mais arriscados precisam ter rentabilidade mais alta para se manterem atrativos.

É possível minimizar os riscos

Como já dissemos, os riscos estão sempre presentes ao investir, em maior ou menor grau. De todo modo, o investidor pode (e deve) adotar estratégias visando reduzir as chances de problemas com suas aplicações financeiras.

Uma das estratégias mais utilizadas é a diversificação da carteira. Ela consiste em distribuir o dinheiro entre diferentes aplicações, de modo a diluir o risco. Dessa forma, se alguma se comportar de forma inesperada, pode ser compensada ou ter seu prejuízo minimizado pelos demais investimentos.

Considere sempre o seu perfil

Encontrar qual o nível ideal entre o retorno esperado e o risco ao qual você está disposto a correr tem relação direta com seu perfil de investidor. Por isso, nunca o desconsidere ao montar sua carteira de investimentos.

Uma pessoa de perfil conservador tende a priorizar menores riscos em detrimento a ganhos melhores. Já alguém de perfil arrojado vai no sentido oposto, abrindo mão de mais segurança e visando ganhos mais substanciais.

Mirar no equilíbrio de risco e retorno de investimento é fundamental para quem deseja obter bons resultados ao investir. Por isso, concentre esforços em encontrar o ponto ideal dessa relação para garantir o equilíbrio nas finanças e sucesso nas suas aplicações.

Assim, para auxiliar na diversificação dos ativos de seus clientes, a MOVA traz diversas oportunidades com diferentes riscos e retornos. Acesse nossa plataforma e abra sua conta!


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *